Tapeceiro

March 3, 2010 at 11:11 pm 3 comments

Eu não tenho respostas para muitas coisas, como por exemplo, terremotos, tsunamis, acidentes, doenças, prisões de pessoas inocentes, sofrimento de pessoas boas, depressão, solidão, rebeldia dos filhos e etc. São tantas as nossas lutas e muitas as nossas dores. Neste momento, alguns de nós choram em prisões, outros choram pelos que estão presos. Alguns passaram a semana no hospital, outros dormem sozinhos e sentem muito a ausência da família. Enquanto uns estão com esperança, outros lutam para que a fé não se esmoreça.

A nossa caminhada aqui na terra é árdua, e surgem indagações inevitáveis. Não estou aqui para tentar lhe explicar nada, muito menos para justificar através de algum tratado teológico sobre o que seria todo esse sofrimento. Essa tarefa seria uma jornada sem fim, e me parece que os que se lançam nesta jornada nunca voltam. Através da busca por essas explicações acabamos nos tornando pessoas cínicas e indiferentes com a dor do próximo.

O que me resta é chorar com os que choram e me alegrar com os que se alegram. Até porque nestes momentos “As palavras se calam....” e o que me resta, e creio que seja a única coisa que realmente promova consolo, é o que me sugere o restante desta antiga canção que diz: “…mas em meu silêncio vou deixar falar meu coração. Eu vou pedir pra Deus que a tua fé não esmoreç. Que o brilho da esperança não se apague em teu coração. Que o grande amor do Pai te cubra, nesta hora, irmão. Eu vou pedir pra Deus que a tua fé esteja muito além do que as próprias circunstâncias que te assolam, Meu querido irmã., Porque logo, logo a tempestade vai passar.

E por falar em canção, dedico esta que segue no vídeo, a você, que chora neste momento, seja qual for a razão. Não entenda esta canção como uma explicação do porque você está passando por esta situação, mas sim como uma verdade bíblica em forma de poesia, na qual sua fé deve se firmar.

Um grande abraço.

E você, a quem dedica esta canção?

Pr. Rodrigo.

Entry filed under: Uncategorized. Tags: , , , .

Participe do Blog Orgulho é Problema Seu!

3 Comments Add your own

  • 1. Helena Madruga  |  March 4, 2010 at 11:54 pm

    Peço licença para comentar essa linda mensagem…

    Lê-la e ouvir essa canção me fez reafirmar aquilo que tomei como base para minha vida espiritual…sou grata a Deus por todas as coisas que acontecem em minha vida, sejam elas boas ou ruins. Ele é o Autor da minha vida e portanto todas as coisas cooperam para o meu bem.
    Esse trecho da música:
    “Se você olha do avesso
    Nem imagina o desfecho
    No fim das contas
    Tudo se explica
    Tudo se encaixa
    Tudo coopera pro meu bem”
    Tem um significado maravilhoso, se pararmos pra pensar que “a fé é a certeza das coisas que se esperam e a convicção de fatos que não se veêm…” concluímos que ter fé é acreditar que para o desfecho da nossa história é preciso confiar de que Deus está a frente de todas as coisas que acontecem, sejam coisas boas ou ruins…

    Que Deus continue a abençoar a todos da Moriah, Pr. Rodrigo e família.

    Reply
  • 2. Helena Madruga  |  March 4, 2010 at 11:56 pm

    Ah…dedico neste momento essa canção ao meu pai, Josué Madruga.

    Reply
    • 3. rlucas27  |  March 8, 2010 at 6:15 pm

      Obrigado Helena. Também dedico esta música ao seu pai. Aprendi muito com ele e sua mãe. Um grande abraço.

      Reply

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Moriá Jovem on Facebook

Moriá Jovem's Facebook profile

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Join 55 other followers


%d bloggers like this: