A falsa humildade é puro orgulho.

March 17, 2010 at 3:57 am 5 comments

Para você compreender melhor o texto que segue, sugiro que leia o texto “O Grande Pecado” que você encontrará na página “Pèrolas” deste blog. Em nossa última classe, estudamos sobre o texto de C. S. Lewis intitulado “O Grande Pecado”.

De acordo com C. S. Lewis, o que significa orgulho e humildade? Defina estas duas palavras.

Em primeiro lugar, C. S. Lewis diz: “O orgulho é essencialmente competitivo… é a comparação que torna uma pessoa orgulhosa.

A estrutura da identidade de pessoas orgulhosas é baseada em comparações com os outros. A compreensão de quem elas são e qual é o seu valor são baseados no fato de que, em certas áreas, como por exemplo: dinheiro, beleza, reconhecimento, moralidade, caráter, raça / nacionalidade, etc, umas são melhores do que as outras.

Isso significa que o orgulho elimina qualquer possibilidade de alguém desfrutar de alguma coisa ou de pessoas, por aquilo que elas são em si mesmas. O orgulho não faz com que você fique feliz com seu emprego, mas faz com que você fique feliz com o fato de que seu emprego tem mais status ou lhe dá mais dinheiro do que o emprego dos outros. O orgulho nem mesmo permite que você fique feliz com o fato de que você é fisicamente atraente, mas faz você feliz com o fato de que você é mais atraente do que os outros. Eu concordo com C. S. Lewis. Conheço algumas pessoas que são atraentes, mas quando estão em um ambiente cheio de outras pessoas, igualmente atraentes, não conseguem ter nenhum prazer.

O orgulho remove a capacidade do homem de se deleitar nas coisas boas da vida, somente por aquilo que elas são; ter prazer na beleza, somente pela beleza, na excelência, apenas pela excelência, na moral, apenas por ser moral. Mas o prazer do orgulhoso está, não nas coisas boas, mas na comparação favorável a ele.

Amar e admirar algo exterior a nós mesmos é um passo para longe da ruína espiritual.” Assim, o orgulho é, basicamente, obras de justiça própria. O orgulho nos permite estar sempre na contabilização de pontos, para que possamos nos convencer de que somos bons, provando a nós mesmos o nosso valor.

É por isso que Lewis diz, “… O orgulho é um câncer espiri tual: ele corrói a possibilidade mesma do amor, do con tentamento e até do bom senso…”

Em segundo lugar, o orgulho é uma visão nada realista de suas habilidades, sabedoria e suficiência.

C. S. Lewis, com clareza, expõe esta idéia quando caracteriza um homem orgulhoso como “sempre olhando de cima para baixo para as outras pessoas e coisas ” e, portanto, incapaz de ver a Deus, “Algo que está acima de si.” O orgulho destrói nosso senso de proporção. Se tivermos uma visão clara de quem Deus é, então não temos como manter uma opinião exagerada de nossas habilidades.

Terceiro, o orgulho é auto-concentração. (Concentrar-se em si mesmo)

C. S. Lewis diz que, na presença de Deus, você talvez chegue a se ver como “um objeto pequeno e sujo.” Isto é, muitas vezes, a maneira como um relacionamento com Deus se inicia, com uma nova compreensão sobre pecado, mas com apenas uma vaga compreensão sobre o que é o evangelho, e sobre o que Cristo fez por nós. C. S. Lewis diz que, a partir do momento que tivermos uma visão clara sobre o pecado e a graça, teremos uma excelente definição de humildade. A definição de humildade é “nos esque cer completamente de nós mesmos. A partir desta definição, Lewis afirma que, um homem humilde não é “uma pes soa submissa ou bajuladora, que vive lhe dizendo que não é nada.”, mas sim uma pessoa que está feliz e que se interessa de uma forma incomum no que os outros têm a dizer, porque não estará pensando em si mesmo de modo algum.

Existem duas formas de orgulho:

  • auto-engrandecimento (o que chamaríamos de complexo de superioridade)
  • auto-depreciação (o que chamaríamos de complexo de inferioridade).

Ambas são formas de auto-concentração. Ambas vêm de um vazio interior no qual estamos tentando preencher. Estamos tentando provar a nós mesmos, e adquirir nosso valor-próprio. A única diferença é que a pessoa que se sente superior entende que está vivendo de acordo com padrões estabelecidos pelo ambiente onde vive, enquanto a pessoa que se sente inferior entende que não está vivendo de acordo com tais padrões. O sistema é o mesmo.

Portanto, humildade não é pensar menos de si mesmo, mas pensar menos em si mesmo. É ter os sentimentos que provocam o auto-engrandecimento removido pela doutrina do pecado e os sentimentos que provocam a auto-depreciação removido pela doutrina da graça. Essas verdades removem o vazio interior e a auto-concentração. Por isso, pessoas que abraçam o evangelho, conseguem conquistar e apreciar as boas coisas da vida apenas por aquilo que elas realmente são e não pelo status de possuir tais coisas.

E você, concorda com C. S. Lewis?

A continuar…..

Pr. Rodrigo DeOliveira

NOTA – (Para comentar sobre este post, clique no link abaixo onde está escrito “add comment”, então escreva seu nome, seu email e seu comentário.)

Entry filed under: Uncategorized. Tags: , , , .

Orgulho é Problema Seu! A Falsa Humildade é Puro Orgulho. Parte II (Como discernir orgulho?)

5 Comments Add your own

  • 1. FIlipe DaSilva  |  March 17, 2010 at 8:08 pm

    Eu concordo.. achei muito feliz esse texto, pois eh uma verdade muito grande.. umas das minhas passagen favoritas na Biblia eh a de filipenses 2 quando fala de Jesus ( o unico q teria qualquer direito de ter orgulho por justa causa) e mesmo ele sendo quem ele eh sem pecado ou erro, e criador de tudo, a palavra diz q ele mesmo sendo Deus abriu mao de tudo por nos.. cara, isso q eh humildade, outra passagem interessante tb, eh quando os discipulos falam pra Jesus q ele eh bom, Jesus responde dizendo q nao , q bom somente o pai..
    se partirmos desse principio de comparacao, quando sentimos que somos mais q os outros, pensamos q nossa a comparacao real tem q ser com Deus, teremos uma real imagem de quem somos realmente e com isso nao tem como se achar melhor q ninguem. Logico q por sermos humanos e termos esssa natureza, queremos um reconhecimento externo dos outros, dos amigos… e as vezes valorizamos isso mais do q o valor q Deus disse q temos ao mandar seu filho a cruz por nos nos.
    muito Bom amores.

    Reply
  • 2. Pr. Jr.  |  March 24, 2010 at 4:14 am

    Nao li o livro ainda, obrigado pela dica.

    Eh claro que concordo.

    Se tem uma coisa que me deixa preoculpado, eh o meu enganoso coracao, confesso que tenho medo de mim mesmo.
    Jr.
    SAUDADES BROTHER.

    Reply
    • 3. Rodrigo DeOliveira  |  March 24, 2010 at 9:21 pm

      Compartilho do mesmo medo. Sou meu piór inimigo, porque sempre faço as pazes comigo mesmo.
      Um grande abraço.
      Saudades

      Rodrigo

      Reply
  • 4. eva  |  November 17, 2010 at 3:16 pm

    me ajudou muito eu precisava mesmo
    desta palavra , eu eu concorda plenamente.quanto meu coração é enganoso e desesperadamente corrupto.QUE JESUS ME AJUDE.

    Reply
    • 5. Rodrigo DeOliveira  |  November 19, 2010 at 4:08 am

      Eva,

      “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” Provérbios 4:23

      Fico feliz que esta palavra tenha te ajudado.
      Um grande Abraço.

      Pr. Rodrigo Deoliveira

      Reply

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Moriá Jovem on Facebook

Moriá Jovem's Facebook profile

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Join 55 other followers


%d bloggers like this: