Perdoe meu sarcasmo.

July 6, 2011 at 1:00 am Leave a comment

Gandhi disse: “No dia em que me mostrarem um cristão parecido com Jesus eu me converto ao cristianismo.” Confesso que tenho mudado meus conceitos sobre o “ajuntamento cristão”, são muitas as decepções. talvez Ghandi estivesse certo, quem sabe?

O texto a seguir fora retirado do livro Comunidade de Zigmunt Bauman. Leia com atenção e responda a você mesmo: Estas palavras não te faz lembrar da comunidade cristâ? (Ps. Estou sendo sarcástico)

” Numa comunidade, todos nos entendemos bem, podemos confiar no que ouvimos, estamos seguros a maior parte do tempo e raramente ficamos desconcertados ou somos surpreendidos. Nunca somos estranhos entre nós. Podemos discutir — mas são discussões amigáveis, pois todos estamos tentando tornar nosso estar juntos ainda melhor e mais agradável do que até aqui e, embora levados pela mesma vontade de melhorar nossa vida em comum, podemos discordar sobre como fazê-lo. Mas nunca desejamos má sorte uns aos outros, e podemos estar certos de que os outros à nossa volta nos querem bem. E ainda: numa comunidade podemos contar com a boa vontade dos outros. Se tropeçarmos e cairmos, os outros nos ajudarão a ficar de pé outra vez. Ninguém vai rir de nós, nem ridicularizar nossa falta de jeito e alegrar-se com nossa desgraça. Se dermos um mau passo, ainda podemos nos confessar, dar explicações e pedir desculpas, arrepender-nos se necessário; as pessoas ouvirão com simpatia e nos perdoarão, de modo que ninguém fique ressentido para sempre. E sempre haverá alguém para nos dar a mão em momentos de tristeza. Quando passarmos por momentos difíceis e por necessidades sérias, as pessoas não pedirão fiança antes dedecidirem se nos ajudarão; não perguntarão como e quando retribuiremos, mas sim do que precisamos. E raramente dirão que não é seu dever ajudarnos nem recusarão seu apoio só porque não há um contrato entre nós que as obrigue a fazê-lo, ou porque tenhamos deixado de 1er as entrelinhas. Nosso dever, pura e simplesmente, é ajudar uns aos outros e, assim, temos pura e simplesmente o direito de esperar obter a ajuda de que precisamos.”

Um ditado popular nordestino que talvez descreva melhor a sociedade de hoje seja, “farinha pouca, meu pirão primeiro.” Mas a igreja é diferente não é mesmo?

por Rodrigo DeOliveira

Entry filed under: Uncategorized. Tags: , , .

Felicida Realista. Os números de 2011

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Moriá Jovem on Facebook

Moriá Jovem's Facebook profile

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Join 55 other followers


%d bloggers like this: